Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A rapariga do autocarro

16
Abr14

Manual para sobreviver a um carteirista.

 

 

 Tanto há a dizer sobre esta praga que invade os nossos transportes todos os dias. Ninguém está a salvo!

 

Nestes dias de férias de Páscoa e nos próximos meses de Verão há carteiristas a fazer milhares de euros em roubos todos os dias. Amontoam-se no Cais do Sodré para se enfiarem no 15, invadem o 28 para o Castelo, é só escolher!

 

Combatê-los é uma luta inglória. São muito raros os casos em que, depois de presos em flagrante, vão, de facto, a tribunal e são condenados, regra geral saem apenas com apresentações periódicas na esquadra… Depois muitos dos turistas também chegam cá a pensar que Lisboa é uma cidade sem criminosos, depois é o que se vê, deixam-se roubar com uma facilidade desconcertante!

 

Estes amigos do alheio apresentam-se de várias formas, disfarçados de pobres reformados ou mesmo de turistas, mas uma coisa é certa, sempre em bandos. As pessoas nunca se apercebem, mas um carteirista nunca “ataca” sozinho.  São vários os grupos de raparigas de leste que andam a pela Baixa a caçar carteiras!

 

Uma coisa que o carteirista não rouba é aquilo que está à frente dos nossos olhos, por isso cuidado com bolsas a tiracolo, às costas, objetos nos bolsos... voa tudo e as pessoas nunca se apercebem. Por norma um carteirista anda sempre com algo nas mãos, um casaco, um jornal, ou uma bolsa a tiracolo, para ajudar a disfarçar os movimentos que vai fazendo com as mãos.  Se estiverem atentos, as bolsas a tiracolo que usam estão sempre vazias, servem apenas de adereço!

 

Nalguns países esta gente estava maneta há muito tempo... há dias diziam no telejornal que, na Argentina, está na moda espancá-los em praça pública quando os apanham!

 

1 comentário

Comentar post